26 Nov

RO: "Maior desmatador do Brasil" cumpre prisão preventiva

Publicada em: 26/11/2019

Por Solange Nunes

Edição: Nilza Murari

Extorsões, ameaças e lavagem de dinheiro são alguns dos crimes listados na denúncia oferecida pelo Ministério Público de Rondônia (MP/RO) a partir da Operação Deforest, da Polícia Federal (PF), contra o empresário Chaules Volban Pozzebon, preso preventivamente no mês passado. Também é acusado de liderar organização criminosa na região de Cujubin, em Rondônia.

A Operação Deforest resultou, no dia 23 de outubro, em 16 mandados de prisão preventiva, 22 mandados de busca e apreensão e seis flagrantes lavrados. Apesar de essa ser a primeira prisão do madeireiro, ele já foi processado e condenado diversas vezes.

No entanto, não só de crimes ambientais é composta sua ficha de antecedentes. Entre as acusações mais sérias referentes a Chaules Pozzebon está a utilização de trabalho escravo. O empresário foi incluído na Lista Suja em 2012, após a fiscalização do então Ministério do Trabalho ter resgatado 22 trabalhadores em regime análogo à escravidão na fazenda Pedra Preta, localizada em Cujubim, onde Pozzebon criava gado.

Apesar de o nome de Chaules Pozzebon ter sido retirado da Lista Suja em 2014, em abril de 2018 ele foi condenado a seis anos e nove meses de reclusão em regime semiaberto. O processo segue em grau de recurso, de acordo com o TRF-1.

Saiba mais na imprensa:

Uol - Preso, "maior desmatador do Brasil" tem 120 madeireiras no Norte, diz MP

Brasil 247 - Maior desmatador do Brasil é preso em Rondônia