15 Set

Força-tarefa flagra 30 pessoas em trabalho escravo numa lavoura de mandioca na fronteira com o Paraguai

Publicada em: 15/09/2022

Os paraguaios trabalhavam em condições precárias numa lavoura na área rural de Iguatemi 

Com informações do jornal RCN67 

Em força-tarefa realizada no dia 9 de setembro, Auditores-Fiscais do Trabalho do Mato Grosso e do Mato Grosso do Sul resgataram 30 paraguaios em condições precárias numa lavoura de mandioca, na região do município de Iguatemi, no sul do estado do Mato Grosso do Sul. A ação ocorreu em parceria com a Polícia Federal e o Ministério Público do Trabalho. Durante a ação, dois homens envolvidos com aliciamento e prática de trabalho análogo à escravidão foram presos pela Polícia Federal. 

Os Auditores-Fiscais do Trabalho constataram várias irregularidades, dentre elas, a ausência mínima de infraestrutura para moradia. Além das condições abusivas de trabalho, a remuneração deles era paga por meio de “vales” e os valores eram gastos em um estabelecimento comercial que pertencia ao grupo criminoso. A situação gerou um vínculo de dependência dos trabalhadores, impedindo ou dificultando o retorno deles ao Paraguai. 

Além dos Auditores-Fiscais do Trabalho do MT e do MS, de agentes de Polícia Federal e de representantes do Ministério Público, a ação teve o apoio da Polícia Civil do Mato Grosso do Sul e da Assistência Social de Iguatemi/MS. O auto de prisão foi lavrado na Delegacia de Polícia Federal de Naviraí/MS. Os envolvidos foram liberados após pagamento de fiança no valor de R$ 50 mil, imposta pela Justiça Federal, e devem responder pelo crime de submeter indivíduos à condição análoga à de escravo, sujeitando-os a trabalhos forçados ou a jornada exaustiva, submetendo-os às condições degradantes de trabalho, restringindo, por qualquer meio, sua locomoção em razão de dívida contraída com o empregador, além da pena correspondente à violência.