10 Nov

Dia Nacional de Lutas: Auditores-Fiscais do Trabalho reforçam atos em todo o Brasil

Publicada em: 10/11/2017

Auditores-Fiscais do Trabalho em todo o país integraram o Dia Nacional de Lutas nesta sexta-feira, 10 de novembro, marcado por protestos contra os ataques do governo aos trabalhadores. Sindicatos, associações, federações, centrais e fóruns mobilizaram-se para rechaçar a reforma trabalhista, a suspensão dos reajustes remuneratórios de diversas carreiras públicas, o aumento de 11% para 14% da contribuição previdenciária dos servidores, a pretendida reforma da Previdência, a terceirização irrestrita, a deturpação do conceito contemporâneo de trabalho escravo trazida pela Portaria 1.129/2017, a corrupção, e a compra de apoio político.

Para o presidente do Sinait, Carlos Silva, a participação dos Auditores-Fiscais do Trabalho nos protestos reiterou a disposição da categoria de combater a precarização pretendida pelo governo nos direitos dos servidores públicos e dos trabalhadores da iniciativa. “Mostramos mais uma vez que somos guerreiros e estamos determinados nos propósitos que nos definem, a defesa de uma sociedade justa, especialmente nas relações estabelecidas no mundo do trabalho.”

Na mobilização em Belém, no Pará, a diretora Rosângela Rassy reforçou que os Auditores-Fiscais são uma das sustentações de um sistema que vem protegendo os trabalhadores brasileiros ao longo do tempo e afirmou que a categoria luta contra a precarização causada pela reforma trabalhista. “A fiscalização do trabalho vai se basear na Constituição Federal, que não acolhe essa reforma em muitos pontos. Mais de cem artigos da Consolidação das Leis do Trabalho foram revogados, com impactos sobre salário, jornada, ocorrência de acidentes de trabalho, num claro desrespeito ao trabalhador.”

No Distrito Federal, os protestos reuniram centenas de pessoas em frente ao edifício-sede do Ministério do Planejamento – confira aqui. No Estado de Pernambuco, trabalhadores se reuniram na Praça da Democracia, no bairro do Derby em Recife, e fizeram um ato em frente à sede da Superintendência Regional do Trabalho. Em Goiânia (GO), os Auditores-Fiscais realizaram uma Assembleia Geral Local - AGL e manifestação. Em Fortaleza (CE), os manifestantes caminharam da Praça da Bandeira até a Praça José de Alencar. No Rio de Janeiro (RJ), os atos ocorreram no Centro, em frente ao Banco Central.

No Estado do Piauí, a manifestação das centrais sindicais percorreu as principais ruas do centro de Teresina, com participação da Delegacia Sindical – DS/PI, e os manifestantes ainda fizeram uma passeata até a Superintendência Regional do Trabalho. “Nos reunimos aos demais trabalhadores para protestar contra a reforma trabalhista, que veio para precarizar contratos de trabalho e fragilizar os direitos sociais dos trabalhadores”, afirmou a delegada Sindical, Soraya Fernandes.

No Rio Grande do Norte, na capital potiguar, mais de 20 representações de sindicatos de trabalhadores, federações e centrais realizaram um grande ato. Em Mato Grosso, a Delegacia Sindical promove um debate sobre a reforma trabalhista hoje e amanhã, 11 de novembro. No Estado da Paraíba, o Delegado Sindical eleito, Einstein Almeida, expôs os graves ataques à classe trabalhadora derivados da Lei nº 13.467/2017, em participação no 9º Congresso dos Trabalhadores da Seguridade Social do Serviço Público Federal.

Em Minas Gerais, os atos se concentraram em Belo Horizonte, na região central. Em Manaus, a Delegacia Sindical do Amazonas – DS/AM realizou AGL. Presidente Prudente, em São Paulo, também integrou a agenda nacional de lutas.