27 Fev

DS-SP: Auditores-Fiscais e Servidores protestam contra sucateamento de Gerências da SRT-SP

Publicada em: 27/02/2018

Por Nilza Murari 

A Delegacia Sindical do Sinait em São Paulo – DS/SP realizou na tarde desta segunda-feira, 26 de fevereiro, uma manifestação em frente à sede da Superintendência Regional do Trabalho – SRT/SP, no centro da capital paulista, de protesto contra o sucateamento do órgão. A Diretora do Sinait, Ana Palmira Arruda, representou a entidade. Segurando uma vassoura, ela assegurou apoio total da Diretoria Executiva Nacional – DEN à questão, que é muito séria. Ela segurou, simbolicamente, uma vassoura durante o Ato Público. 

Desde o dia 9 de fevereiro várias unidades do Ministério do Trabalho – MTb estão sem serviço de limpeza, acumulando lixo, sujeira, baratas e outros insetos. Isso, dentro do “órgão responsável pela verificação do cumprimento de normas de Saúde e Segurança nas empresas. É um absurdo completo. Essa situação fere gravemente a imagem do Ministério do Trabalho”, diz Rodrigo Iquegami, presidente da DS/SP. Ele observa que há muito tempo a SRT/SP “sofre com a falta de estrutura e falta de pessoal. Mas a suspensão do contrato de limpeza ultrapassa todos os limites imagináveis.” 

No dia 19 de fevereiro o superintendente Eduardo Anastasi garantiu ao Delegado Sindical, na presença de vários Auditores-fiscais do Trabalho, que o problema seria resolvido até o dia 23, sexta-feira passada, o que não ocorreu – relembre aqui. São 14 unidades do interior de São Paulo que estão sem serviço de limpeza, afetando uma população superior a 9 milhões de pessoas. As Gerências afetadas são as de Americana, Araraquara, Atibaia, Bragança Paulista, Campinas, Itapetininga, Itapeva, Jundiaí, Pindamonhangaba, Piracicaba, Mogi Guaçú, Rio Claro, São Carlos, São José dos Campos e Sorocaba. 

Além de protestarem contra o descaso com o Ministério do Trabalho, os Auditres-Fiscais do Trabalho e Servidores Administrativos discutiram medidas de aprimoramento da estrutura administrativo da SRT/SP, como uma melhor gestão dos contratos, por exemplo. Para Rodrigo Iquegami, “a situação desmoraliza a Inspeção do Trabalho e o Ministério do Trabalho, além de desrespeitar gravemente os servidores e a população”. 

A DS/SP e o Sindicato dos Servidores Públicos Federais – Sindsef/SP publicaram uma Nota de Repúdio no jornal MetroNews denunciando a situação.

Reunião

A Delegacia Sindical reuniu-se com Eduardo anatasi mais uma vez e cobrou uma solução. O superintendente afirmou que o serviço será regularizado até a próxima quinta-feira, 1º de março. Rodrigo Iquegami questionou qual será a alternativa caso o problema não seja resolvido. A resposta do Superintendente foi que a alternativa é o fechamento das unidades!