10 Out

SINAIT celebra 30 anos e homenageia Auditores-Fiscais do Trabalho

Publicada em: 10/10/2018

Solenidade ocorreu na sede do Sinait com lançamento de livro, documentário e selo que marcam três décadas de história do primeiro Sindicato de servidores públicos registrado após a promulgação da Constituição Federal em 1988

Por Dâmares Vaz

Edição: Nilza Murari

Alegria, emoção, respeito, amizade, reconhecimento, história, protesto, preencheram as comemorações dos 30 anos do SINAIT, marcados por uma solenidade e um ato público nesta quarta-feira, 10 de outubro, em Brasília. Quase 200 Auditores-Fiscais do Trabalho de todo o Brasil, dirigentes do Sindicato e de entidades parceiras participaram das atividades alusivas.

Fundado em 7 de outubro, foi o primeiro sindicato de servidores públicos criado depois da promulgação da Constituição Federal, em 5 de outubro de 1988. Na visão dos Auditores-Fiscais do Trabalho que participaram daquele momento, “foi como uma emancipação que a Federação das Associações dos Agentes da Inspeção do Trabalho no Brasil – FASIBRA almejava há muito tempo. Foi um passo à frente, o primeiro degrau de uma longa escada que continuamos a subir, ano após ano.” As palavras foram lidas pelo diretor Bob Machado, que abriu a solenidade, na sede do SINAIT.

Alguns dos fundadores do SINAIT estiveram presentes nas comemorações, assim como ex-presidentes da FASIBRA e do Sindicato Nacional. Foram homenageados nas pessoas dos Auditores-Fiscais do Trabalho Maria do Socorro Monte de Morais Araújo, Vera Jatobá e José Luiz Linhares; do presidente, Carlos Silva; e dos ex-presidentes Rosa Maria Campos Jorge – atual vice-presidente, Rosângela Silva Rassy, Alceu Flores, Carlos Alberto Teixeira Nunes, Fahid Tahan Sab, José Antônio Pastoriza Fontoura e Elene Maria Fleury de Lemos – falecida em 2015 e representada pelo filho Darley Fleury de Lemos Carvalho, pela nora Chayenne do Valle e pelo neto Lucas do Valle Fleury de Lemos Carvalho.

Carlos Silva registrou que muitas pessoas contribuíram para a construção da história do SINAIT. “Muitas estão aqui e outras nos deixam imensas saudades e lembranças, por tudo o que significaram e por tudo o que construíram. Uma dessas pessoas é Elene Maria Fleury de Lemos, a primeira mulher a ocupar o cargo de presidente do Sindicato, de 1993 a 1995. Para homenageá-la, de hoje em diante, a sala da vice-presidência do SINAIT passa a se chamar Sala Elene Maria Fleury de Lemos”. Além do descerramento da placa que dá nome ao espaço, foi atualizada a Galeria de Ex-presidentes, com a aposição da foto do presidente Carlos Silva, que cumpre seu segundo mandato à frente da entidade.

O ex-presidente da FASIBRA e do SINAIT Fahid Tahan Sab, decano do grupo de ex-presidentes, ressaltou que a organização de classe dos Auditores-Fiscais do Trabalho teve uma coincidência maravilhosa com a proclamação da liberdade. “A primeira organização, a FASIBRA, nasceu no momento em que as trevas começavam a ser dissipadas por uma madrugada raiada de liberdade. Anos depois, em 1988, no dia 5 de outubro, Ulysses Guimarães anuncia a nova Constituição; em 7 de outubro, esta categoria já estava organizada para continuar sua trajetória em defesa do mais fraco, em nome da lei que o protege.”

Em sua fala, prestou homenagem a todos os Inspetores do Trabalho de todas as épocas e também fez um apelo para que mantenham a determinação e a coragem diante dos males que se prenunciam. “Parafraseando Geraldo Vandré, digo para seguirmos com nosso dever legal na mente e a história na mão, caminhando e cantando e seguindo a canção.”

Livro, documentário e selo

Para a vice-presidente Rosa Jorge, a história dos 30 anos do SINAIT e de sua antecessora, a FASIBRA, merece ser contada. Com esse objetivo, o Sindicato apresentou o livro “Sinait 30 Anos – Uma Trajetória de Lutas e Conquistas”, escrito pela jornalista Cláudia Machado, e um documentário da história do Sindicato, produzido pela Argonautas Design de Vídeo, ambos com apoio da assessoria de comunicação da entidade, além de um selo comemorativo, que será aplicado nas correspondências oficiais.

Rosa Jorge detalhou um pouco da obra: “é uma edição trilíngue, contada em textos e imagens. São depoimentos de ex-presidentes da FASIBRA e do SINAIT, e de Auditores-Fiscais do Trabalho que, desde a década de 1970, lutaram por uma representação nacional e por uma Fiscalização do Trabalho forte e independente. Tem ainda o prefácio escrito pelo senador Paulo Paim, que muito nos honrou com sua contribuição.”

Sobre o documentário, a diretora Ana Palmira Camargo falou sobre o processo de produção. No dia 7 de agosto, o SINAIT trouxe a Brasília ex-dirigentes da FASIBRA e do Sindicato Nacional, além de integrantes da atual diretoria e Auditores-Fiscais do Trabalho atuantes nas lutas da categoria. “Essa reunião de memórias forneceu grande parte do subsídio necessário para a montagem desse documentário que relata, de maneira sensível e, ao mesmo tempo, forte, a trajetória de 30 anos do Sindicato”, pontuou. O documentário de cerca de 13 minutos foi exibido, emocionando os presentes à solenidade, que são parte dessa história de luta.

Prestigiaram a cerimônia o presidente e o vice-presidente da Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho – ANPT, Ângelo Fabiano Farias da Costa e Helder Amorim; o diretor de Documentação do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar – Diap, Ântonio Augusto de Queiroz; e a secretária-Executiva do Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil - FNPETI, Isa Oliveira.

Constituição e SINAIT

A Carta Magna de 1988 reconheceu o trabalho e seu valor social como direito e princípio e apontou o papel central da Inspeção do Trabalho na garantia desse direito. Ao mesmo tempo, restabeleceu o direito à organização sindical dos trabalhadores e servidores, depois dos longos anos da ditadura militar de 1964.

Umbilicalmente ligado à Constituição Cidadã, o SINAIT celebrou os 30 anos do documento. Com a realização do “Seminário Internacional 30 anos da Constituição Cidadã e um ano da Reforma Trabalhista”, em conjunto com entidades que atuam para garantir a aplicação e o respeito aos direitos constitucionais e a proteção ao trabalho, o Sindicato procurou fomentar a reflexão sobre o mundo do trabalho, os direitos sociais inscritos na Constituição Federal de 1988 e o panorama atual face à reforma trabalhista e à terceirização irrestrita.

Os debates ocorreram nessas segunda e terça-feiras, 8 e 9 de outubro, em Brasília – confira aquiaquiaqui aqui.