01 Out

Outubro Rosa: Começa campanha de conscientização sobre o câncer de mama

Publicada em: 01/10/2019

Mamografia é o meio mais seguro de prevenção

Por Lourdes Marinho

Edição: Nilza Murari

Outubro já é conhecido mundialmente como um mês marcado por ações afirmativas relacionadas à prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama e, mais recentemente, câncer do colo do útero. Celebrado anualmente desde os anos 1990, o movimento conhecido como Outubro Rosa tem como objetivo compartilhar informações sobre as doenças visando à conscientização e o acesso aos serviços de diagnóstico e, consequentemente, à redução da mortalidade.

O nome da campanha remete à cor do laço que é um símbolo internacional usado por indivíduos, empresas e organizações na luta e prevenção do câncer de mama. É por esse motivo que durante esse mês a cor rosa ilumina a fachada de diversas instituições públicas e privadas para indicar a adesão ao movimento. O SINAIT apoia o movimento por meio da divulgação de notícias e eventos sobre o tema em seus canais de comunicação.

Todos os anos, milhares de mulheres no mundo são diagnosticadas com câncer de mama. O diagnóstico precoce ainda é o maior aliado para o tratamento eficaz da doença. Quando identificado bem cedo, pode ser tratado, impedindo que o tumor alcance outros órgãos.

No Brasil, as campanhas de conscientização sobre o câncer de mama ocorrem desde 2002, e sobre o câncer de colo do útero, desde 2011. Ainda no Brasil, o câncer de mama é o segundo tipo de câncer mais comum no público feminino, ficando atrás somente do câncer de pele não melanoma.

Para este ano, o Instituto Nacional de Câncer – Inca estima que cerca de 57.700 novos casos de câncer de mama sejam detectados. Se diagnosticado precocemente, o índice de cura chega a 95%.

Mamografia é o meio mais seguro de prevenção

Uma pesquisa feita pelo Ibope Inteligência em parceria com uma empresa farmacêutica intitulada “Câncer de mama hoje: como o Brasil enxerga a paciente e sua doença?” aplicou um formulário virtual on line em diferentes regiões metropolitanas do Brasil, em cidades como São Paulo, Recife, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre e Curitiba. O resultado mostrou que 80% dos brasileiros estão convencidos de que o autoexame das mamas – o toque feito pela própria mulher nas axilas e nos seios – é a principal medida para identificar a doença precocemente. O que é um equívoco, porque, quando o tumor é palpável, muitas vezes, já se encontra em estágio avançado.

Segundo especialistas, é importante tocar as próprias mamas para conhecimento corporal, mas muitas sociedades médicas deixaram de recomendar o autoexame como método preventivo uma vez que, ao não detectar alterações durante o toque, a mulher pode acabar se afastando do médico e adiando a realização da mamografia, que pode detectar alterações muito pequenas e ainda não palpáveis, o que aumenta as chances de sucesso no tratamento.

A mamografia, uma radiografia feita por um equipamento chamado mamógrafo, capaz de identificar alterações suspeitas de câncer antes que seja palpada qualquer alteração nas mamas é o meio mais confiável de prevenção.

A orientação do Ministério da Saúde é que todas as mulheres entre 50 e 75 anos se submetam ao exame de mamografia a cada dois anos – embora muitos especialistas recomendem que seja realizado anualmente a partir dos 40 anos.

Por isso, realizar os exames no tempo certo é uma medida tão importante quanto adotar hábitos saudáveis e cumprir uma rotina de exercícios físicos em busca de uma saúde melhor.​