29 Nov

Está disponível relatório da Fiscalização do Trabalho sobre rompimento da barragem da Vale em Brumadinho

Publicada em: 29/11/2019

Desastre é considerado o maior acidente de trabalho registrado no País, com quase 300 mortes

O resultado do trabalho da equipe de oito Auditores-Fiscais do Trabalho que investigaram o acidente na barragem 1 da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, ocorrido em 25 de janeiro de 2019, está reunido em um extenso relatório, disponível agora para consulta. O desastre é considerado o maior acidente de trabalho registrado no Brasil, deixando até o momento 255 mortos e 15 desaparecidos.

O estudo da Inspeção do Trabalho aponta que a diretoria e o corpo técnico da Vale conheciam, desde 2016, a fragilidade da barragem. Apesar disso, não atenderam às diversas recomendações de auditorias para resolver o problema. Entre as irregularidades encontradas está o excesso de água na barragem, que se explica pelo lançamento inadequado de rejeitos, como a lama fina, que facilita o acúmulo de líquidos.

O caso, com a atuação da Fiscalização, foi apresentado no dia 20 de novembro durante um painel do 37º Encontro Nacional dos Auditores-Fiscais do Trabalho – Enafit, em Aracaju, pelo Auditor-Fiscal do Trabalho Marcos Botelho. Na ocasião, ele destacou que a referida barragem era a mais frágil da Vale em Minas Gerais e a empresa sabia disso, mas não tomou medidas para evitar o rompimento. A corporação também chegou a distorcer cálculos a fim de obter um certificado de segurança da estrutura, apontam os Auditores.

Acesse aqui e aqui os relatórios.

Leia também:

37º Enafit – Acidentes que podem ser evitados