13 Dez

MG: Auditores-Fiscais resgatam 27 trabalhadores de trabalho análogo ao escravo em fazenda de Perdizes

Publicada em: 13/12/2019

A liberação ocorreu depois que seis vítimas caminharam até a Agência Regional do Trabalho em Araxá para denunciar a situação 

Por Lourdes Marinho, com informações da Agência Regional do Trabalho de Araxá (MG) e do  G1 do Triângulo e Alto Paranaíba

Edição: Nilza Murari 

Vinte e sete trabalhadores em condição de trabalho escravo foram resgatados, nesta quinta-feira, 12 de dezembro, em uma fazenda na zona rural de Perdizes, município do Triângulo Mineiro, Minas Gerais. A liberação foi realizada por Auditores-Fiscais do Trabalho da Agência Regional do Trabalho de Araxá (MG). 

O resgate ocorreu depois que seis vítimas foram até a Agência denunciar a situação. "Vieram seis trabalhadores, de um total de 27. Eles vieram a pé da fazenda onde estavam para fazer a denúncia, pois estavam em condições que não tinha como continuarem trabalhando lá", disse Luciana Menezes, chefe da Agência Regional. 

Os contratantes cobravam pela alimentação oferecida. No entanto, os trabalhadores não sabiam quanto seria pago. Além disso, os Auditores-Fiscais constataram várias irregularidades. "Eles estavam trabalhando embaixo de chuva, sem capa para proteger, sem equipamento de proteção individual, sem banheiro, sem as mínimas condições de trabalho", informou o Auditor-Fiscal do Trabalho, Humberto Monteiro, que participou da fiscalização e do resgate. 

As falhas dos contratantes começaram no recrutamento. "As irregularidades começam a partir do momento em que se recruta a pessoa, em um ônibus clandestino, e retém a Carteira de Trabalho do trabalhador. É uma forma de manter o trabalhador coagido a permanecer no trabalho por estar segurando o documento dele", completou Humberto Monteiro. 

No momento do resgate, parte dos trabalhadores estava na colheita e o restante em alojamentos precários, alguns com lonas como paredes. "Eles chegaram, jogaram a gente lá, e ficou meio enrolado o alojamento. Tinha que dividir um quarto com oito pessoas", comentou um dos trabalhadores, que não quis se identificar. 

Os Auditores-Fiscais calcularam em R$ 135 mil o valor da indenização rescisória devida aos trabalhadores. O montante está previsto para ser pago pelo empregador no sábado ou domingo, 14 ou 15 de dezembro, na presença dos Auditores-Fiscais do Trabalho. Eles também irão receber o Seguro-Desemprego para o Trabalhador Resgatado. 

Os trabalhadores foram levados para um hotel. Após o pagamento do acerto trabalhista, eles retornarão para as suas cidades de origem.