16 Out

Geap: SINAIT volta a questionar reajustes nos planos de saúde

Publicada em: 16/10/2020

Por Dâmares Vaz

Edição: Nilza Murari 

O SINAIT voltou a questionar a Geap Saúde a respeito dos reajustes anunciados nos planos de saúde da operadora, que chegam a 45,58% no plano Geap Saúde Vida, que agrega a maioria dos participantes, e a 30,74% no plano Geap para Você PE. O Sindicato aponta a ausência de estudos atuariais que justifiquem um reajuste tão alto. Também pontua que a suspensão dos aumentos pela Agência Nacional de Saúde Suplementar – ANS, em razão da pandemia do novo coronavírus, não é suficiente para explicar tais patamares de alteração.

A pauta foi apresentada à Geap no dia 10 de outubro, em nova correspondência enviada ao seu diretor-presidente, Ricardo Marques Figueiredo – acesse aqui a carta expedida pelo SINAIT.

Apesar de ter apresentado uma resposta ao Sindicato – confira a íntegra aqui, a operadora não disponibilizou os estudos atuariais, apenas justificando os maiores índices de reajustes como necessários à sustentabilidade dos planos. “Na análise do histórico financeiro dos planos [Geap Saúde Vida e Geap para Você PE], foi verificado que os custos assistenciais são superiores às suas receitas, que somados à atualização monetária levaram a esses reajustes.”

A entidade de autogestão afirmou ainda que “os reajustes já vigentes em 2020 não foram suspensos e não impactaram os cálculos para os próximos reajustes”. Além disso, a Geap pontuou que “a suspensão da aplicação de reajustes anuais determinada pela ANS abarca os planos que possuem data-base no período de setembro a dezembro de 2020, cujas atualizações serão aplicadas aos planos apenas em janeiro de 2021”.

Ficaram ainda sem resposta uma série de questionamentos feita pelo SINAIT. Além dos estudos atuariais, o Sindicato quer informações sobre a quantidade de óbitos de assistidos no ano de 2020; a quantidade de óbitos de assistidos causados pelo coronavírus; o custo com o enfrentamento ao coronavírus; os valores despendidos no tratamento de pessoas que contraíram Covid-19;  os dados e projeções atuariais sobre o impacto do vírus na quantidade de vidas dos planos, no custeio e nas despesas relacionadas; a quantidade de vidas em cada plano; a quantidade de vidas por faixa etária em cada plano, e as causas para o arbitramento do reajuste dos planos Geap Saúde Vida, Geap para Você PE e Geap Referência Vida.

Na correspondência, o Sindicato lembra ainda que se colocou à disposição para o diálogo com a entidade de autogestão, inclusive mostrando receio quanto à pandemia de Covid-19 e aos reajustes futuros que porventura viessem a ser praticados. “Nosso receio tinha fundamento e, infelizmente, se concretizou”, lamentou o Sindicato.

Leia também:

SINAIT toma medidas contra o reajuste abusivo das mensalidades da Geap previsto para 2021

Geap – SINAIT busca diálogo para estabelecer melhores serviços aos filiados

Geap: SINAIT entra com ação coletiva contra reajustes abusivos nos planos de saúde