01 Mar

No programa Café da Manhã, o presidente do SINAIT debateu reforma administrativa com o deputado Paulo Ramos

Publicada em: 01/03/2021

Por Solange Nunes
Edição: Nilza Murari
 
O presidente do SINAIT, Bob Machado, conversou com o deputado Paulo Ramos (PDT-RJ) sobre a Proposta de Emenda à Constituição nº 32/2020, que trata da reforma administrativa, e sobre a PEC Emergencial durante o programa Café da Manhã, nesta segunda-feira, 1º de março. Na pauta, ainda, “O papel do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho e a Reforma Administrativa”. O deputado promove o “café da manhã” virtual às segundas-feiras em seu canal no YouTube, conversando com pessoas de variados setores sobre projetos em andamento no Congresso Nacional.
 
De acordo com Bob Machado, há muita desinformação sobre os ditos privilégios dos servidores públicos, usados para justificar os ataques por meio dessa proposta de reforma administrativa. “Os argumentos sobre os privilégios dos servidores públicos são falaciosos. As desigualdades são criadas pelos setores econômicos. O Estado existe para pensar na sociedade como um todo”.
 
Declarou também que a narrativa daqueles que defendem essa reforma é a mesma usada, em 2017, para impor a reforma trabalhista, que virou a Lei nº 13.467/2017, e que resultaria em 3 milhões de empregos. “Passados quatro anos nenhum emprego foi criado, apenas aumentou a precariedade do trabalho e das relações de trabalho”.
 
O presidente do SINAIT refletiu que o desmonte dos direitos passa por várias fases como, por exemplo, desconstrução das estruturas governamentais, falsas declarações acerca sobre a qualidade dos serviços prestados, entre outras medidas. “Nesta linha, a extinção do Ministério do Trabalho, ausência de concursos públicos para o cargo de Auditor-Fiscal do Trabalho. O último concurso foi há oito anos, em 2013”.
 
Bob Machado disse ainda que é preciso pensar seriamente sobre o tema. “O Estado existe para proteger os mais vulneráveis, pensar a sociedade como um todo. As pessoas não podem ficar à mercê do setor econômico. É assim que atuam os serviços públicos e os Auditores-Fiscais do Trabalho”.      
 
Confira aqui o Café da Manhã com Bob Machado e o deputado Paulo Ramos.