21 Out

Precatórios da Gifa: em reunião com filiados, SINAIT detalha medidas para garantir liberação de valores bloqueados

Publicada em: 21/10/2021

Por Dâmares Vaz
Edição: Andrea Bochi

Em reunião com cerca de 50 filiados que estão com precatórios da Gratificação de Incremento da Fiscalização e Arrecadação (Gifa) bloqueados pela Justiça Federal, o SINAIT detalhou as inúmeras medidas que vem tomando para garantir a liberação dos valores. O presidente do SINAIT, Bob Machado, e os diretores Rosa Jorge e Wellington Maciel conduziram a reunião, que teve participação ainda de advogados do escritório de advocacia Amário Cassimiro, patrono das ações da Gifa.

O SINAIT reiterou que está vigilante quanto ao trâmite dos processos. Ao saber do bloqueio, a entidade adotou diversas providências, que começaram por elucidar as razões alegadas pela Justiça Federal para fazer a retenção dos valores, além de ter pedido a liberação de todos os precatórios bloqueados.

A entidade está sempre em contato com a juíza da 5ª Vara Federal, a fim de resolver a questão, fornecendo-lhe todas as informações solicitadas, necessárias ao andamento das ações. O Sindicato também diligencia constantemente junto ao juízo, para que dê celeridade à quitação dos valores. Tudo isso foi relatado ao grupo de filiados, que puderam esclarecer dúvidas.

“O SINAIT está fazendo tudo para garantir que vocês recebam seus direitos o quanto antes. E a justiça há de prevalecer”, afirmaram os dirigentes aos filiados, que receberam ainda mais informações sobre a situação de seus processos e sobre as razões alegadas pelo juízo para fazer a retenção dos valores. “É preciso deixar claro, no entanto, que o bloqueio não se deve a nenhum tipo de pendência processual, tendo em vista que todas as informações pedidas foram fornecidas por nós”, afirmou o advogado Amário Cassimiro.

Ao encerrar a reunião, o presidente do SINAIT relatou a atuação da entidade para barrar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 23/2021 (do calote no pagamento dos precatórios) e pontuou que a proposta não atinge quem recebeu precatórios em 2021, não tendo nenhuma relação com os valores já depositados e que estão bloqueados.