09 Mai

SINAIT lança pesquisa sobre condições de trabalho e saúde mental

Publicada em: 09/05/2022

O trabalho objetiva compreender as diversas situações que perpassam a vida profissional dos Auditores-Fiscais do Trabalho

Por Cristina Fausta

A preocupação com a saúde mental no trabalho tem ganhado cada vez mais espaço nas organizações e, no SINAIT, o entendimento não poderia ser diferente. Em live transmitida pelo canal SinaitPlay, no YouTube, realizada na noite de quinta-feira (5/05), a entidade lançou a pesquisa “Condições de Trabalho e Saúde Mental de Auditores e Auditoras-Fiscais do Trabalho no Brasil”. A solenidade de abertura contou com a presença do presidente Bob Machado, da Auditora-Fiscal do Trabalho Gerúsia Barros de Feira de Santana (BA), e da professora da Universidade Estadual de Feira de Santana/BA (UEFS), Tânia Araújo.

Com esse trabalho pretende-se conhecer o perfil sociodemográfico da carreira e identificar os fatores de riscos psicossociais presentes nas atividades desempenhadas pelos Auditores-Fiscais do Trabalho.

Bob Machado explicou que a pesquisa objetiva avaliar a situação de saúde mental, especialmente no contexto da pandemia da Covid-19. A conjuntura, difícil para toda a sociedade, também trouxe perdas para Auditoria-Fiscal de Trabalho. “Este mapeamento será muito útil ao diagnóstico das características psicossociais do trabalho dos Auditores. Será possível identificar os níveis de controle, de demanda psicológica, de suporte social e, ainda, de insegurança no trabalho”, explicou o presidente.

Em sua participação, a Auditora-Fiscal do Trabalho Gerúsia Barros destacou que o tema da pesquisa está diretamente ligado com à inspeção do trabalho e aos Auditores enquanto trabalhadores. Ela explicou, também, como surgiu a ideia de lançar a pesquisa. “A iniciativa surgiu a partir de uma aula da professora Tânia Araújo e, em uma reunião do Coletivo Trabalho Por Elas, resolvemos estudar e avaliar a Auditoria-Fiscal do Trabalho”, relatou a Auditora.

Por que fazer a pesquisa?

A professora da Universidade Estadual de Feira de Santana/BA (UEFS), Tânia Araújo, explicou que os aspectos psicossociais do trabalho estão, cada vez mais, associados à produção de estresse ocupacional e que os efeitos na vida dos trabalhadores podem se múltiplos e desencadear diversos tipos de doenças.

A pesquisa está dividida em três objetivos: conhecer o perfil sociodemográfico dos AFT em todo o país; identificar os fatores psicossociais (estresses ocupacionais presentes nas atividades); e por fim, avaliar os fatores de estresse e adoecimento mental.

A professora apresentou um pouco sobre o que será avaliado através da pesquisa. “Para avaliar os fatores psicossociais do trabalho vamos utilizar dois modelos de mensuração dos estressores ocupacionais, que são mais utilizados, sendo eles o “modelo demanda-controle” e o modelo desequilíbrio esforço-recompensa”, explicou a professora. Veja a íntegra da live aqui.

Participe!

A participação de todos é muito importante para o sucesso deste estudo. O presidente Bob Machado destacou o resultado da pesquisa será um artigo importante para demonstrar, cientificamente, para Administração, parlamentares e para a sociedade, que a carreira de Auditores-Fiscais necessita de um olhar atento, uma vez que luta pelos trabalhadores, mas, também, precisa de proteção.

Preencha o formulário da pesquisa e colabore para luta dos pleitos da carreira.