25 Mai

Chacina de Unaí – Encerradas oitivas no segundo dia de julgamento de Antério Mânica

Publicada em: 25/05/2022

Por Andrea Bochi

No segundo dia do julgamento de Antério Mânica foram concluídas as oitivas das 19 testemunhas, sendo 14 de acusação e cinco de defesa. O último depoente encerrou seu relato às 23h30. Para o Sinait, a defesa montou uma verdadeira farsa com o objetivo de livrar o réu e colocar toda a culpa sobre Norberto Mânica.

O Delegado aposentado, Antônio Celso dos Santos, caiu em contradição em seu depoimento com relação ao que tinha dito em 2015 e afirmou que muitas investigações ficaram fora do processo porque, segundo ele, não eram importantes e “não levariam a nada e a nenhuma conclusão”. Interrogado pela advogada assistente de acusação Aline Giacon, Celso não respondeu claramente sobre o motivo de não constarem dos autos as investigações relativas ao veículo Marea, que é citado no processo, mostrando a fragilidade das declarações.

Além de Antônio Celso, mais três testemunhas arroladas pela defesa foram ouvidas e inquiridas, entre elas, José Mario Karmicsak, Odécio Onei Oppelt, Luiz Joaquim Missio e Jasmo Machado de Andrade.

Odécio Onei Oppelt presta serviço de contabilidade, desde 1987, a Antério Mânica. Declarou ter contato com os Auditores-Fiscais, porque após as fiscalizações passavam no seu escritório para pedir as documentações referentes aos registros trabalhistas dos empregados.

Luiz Joaquim Míssio, atualmente, é produtor rural. Em 2004, era engenheiro agrônomo, encarregado de produção da fazendo Guaribas de Antério Mânica. Era responsável por distribuir tarefas para os empregados.

Jasmo Machado de Andrade, atualmente é motorista autônomo. Em 2004, trabalhava para o Hugo Pimenta, na Huma Cereais.

Para Bob Machado ficou evidente que a declaração de culpa registrada em cartório por Norberto Mânica, foi uma clara manobra para livrar o irmão Antério das acusações.

Nesta quinta-feira, 26 de maio, serão apresentados vídeos e outros materiais juntados ao processo.