04 Out

SINAIT e CIIT participam de congresso de Inspetores de Trabalho, em Cuenca, na Espanha

Publicada em: 04/10/2022

Por Dâmares Vaz

O diretor do SINAIT Renato Bignami e o presidente da Confederação Iberoamericana de Inspetores do Trabalho (CIIT) – que o Sindicato integra –, Sergio Voltolini, participam do IV Congresso do Sindicato de Inspectores de Trabajo Y Seguridade Social, nos dias 6 e 7 de outubro, em Cuenca, na Espanha.

Os dirigentes estão entre os debatedores do painel “Futuro do Trabalho: as novas formas de emprego: experiências internacionais da Inspeção do Trabalho”, que ocorre no dia 7, às 10h30. O painel contará ainda com o diretor do Escritório da Organização Internacional do Trabalho na Espanha (OIT), Félix Peinado, e com o presidente da Associação Internacional de Inspeção do Trabalho (Iali), Ho Siong Hin.

A Inspeção do Trabalho espanhola é uma das mais bem estruturadas do mundo e inspirou o desenvolvimento de vários sistemas nacionais de inspeção do trabalho em todas as partes, dentre eles o brasileiro, observa Bignnami. "Participar dos debates deste congresso dos inspetores do trabalho espanhóis, juntamente com a Confederação Iberoamericana e a Iali, é uma grande deferência para com o SINAIT e a inspeção brasileira, reconhecida internacionalmente como uma instituição sólida e efetiva em sua missão de fiscalizadora do fiel cumprimento da legislação de proteção ao trabalho, apesar das restrições de pessoal, orçamentárias e até mesmo administrativas impostas aos Auditores-Fiscais do Trabalho de todo o Brasil nos últimos anos", diz o diretor do Sindicato.

Também estarão na pauta de debates do congresso os seguintes temas – transformações nas relações de trabalho e o futuro da lei trabalhista; a fuga do direito do trabalho: a extensão do falso trabalho autônomo e os fenômenos da terceirização e descentralização produtiva; garantias no uso de algoritmos e processos automatizados na Fiscalização do Trabalho e da Seguridade Social; a luta contra o trabalho não declarado, o trabalho forçado e o tráfico de seres humanos; a estabilidade no emprego no novo quadro de relações de emprego e seu controle pelo inspetores do Trabalho e Seguridade Social, e o futuro da Inspeção do Trabalho e Seguridade Social sob a visão dos inspetores.